7 SUPER DICAS DE FOTOGRAFIA PARA VOCÊ SE DESTACAR POSITIVAMENTE

 

PS.: Antes de tudo, quero deixar claro que todas as imagens utilizadas aqui neste Artigo pertencem, htttp://DominandoAfotografia.com – todos os direitos reservados.

INTRODUÇÃO

Quantas vezes terminamos um evento e nos deparamos com o fato de que poderia ter sido melhor?

Às vezes, deixamos passar detalhes que poderiam ter sidos registrados, ou até uma foto que ficaria melhor com outra lente, ou até mesmo ter explorado ângulos diferenciados pra ter registros únicos.

Pois é, isso acontece, mas podemos evitar ao máximo, porque se cobramos pelo serviço, então devemos fazer valer a pena para que haja uma divulgação positiva do nosso trabalho, porque agradar nossos clientes é uma tarefa nada fácil.

Coloquei dicas mais práticas, fugindo um pouco da teoria, que também é necessária, diga-se de passagem, mas a dica #7 é a minha preferida!

RESUMO DO QUE VAMOS ESTUDAR – AS 7 DIDAS

  1. CONHEÇA O BÁSICO
  2. SINTA-SE PARTE DO EVENTO
  3. CONHEÇA SEU CLIENTE
  4. NÃO SEJA PREGUIÇOSO
  5. FOTOGRAFE SEMPRE EM RAW
  6. PROCESSE MAS NÃO SEJA PROCESSADO
  7. PROCURE A LÁGRIMA

 

#1 – CONHEÇA O BÁSICO

Falando para um público iniciante ou dando dicas de fotografia profissional, uma é de tabela: temos que conhecer o básico da fotografia, porque se não, é impossível que se cobre qualquer valor pelo um evento qualquer.

A fotografia é séria e não deve ser desmoralizada por pessoas aventureiras sem compromisso, é necessário respeitar a categoria.

O fotógrafo iniciante ou o profissional (experiente), o básico, ou seja, os pilares da fotografia se torna um quesito indispensável. Vou falar de Exposição, Equipamento e identidade.

EXPOSIÇÃO

Para se ter uma foto exposta corretamente se é necessário fazer a fotometria do ponto de interesse medindo através de um fotômetro.

A coisa fica um pouco mais complicada para fazer tal medição quando utilizamos flash, pois a câmera observa os pontos previamente configurados e faz a medição (fotômetro embutido) ignorando o flash, mas para ter um resultado agradável deve utilizar um fotômetro externo ou configurar o flash no o modo TTL.

ABERTURA

Como disse não vou entrar em detalhe teóricos.

A abertura significa a quantidade de luz que a lente consegue deixar passar, quanto maior a abertura mais luz entra, contradizendo a nomenclatura que, quanto maior o f-stop, ou seja valor da abertura, menos luz passa pela lente.

Um exemplo: f2,8 passa mais luz do que f5,6.

Daí entra um outro assunto bem popular entre fotógrafos, profundidade de campo.

PROFUNDIADE DE CAMPO

Pense no seguinte, quanto menor o valor do f-stop, menor será a profundidade de campo. A partir daí entendemos àquelas fotos com o fundo ou a frente bem desfocado isolando bem o assunto.

Lentes como uma Sigma 35mm 1,4 é um exemplo de uma lente que proporciona tal desfoque acentuado que dá uma delicadeza a imagem tornando-a uma foto que chama a atenção. Mas é possível fazer uso desse desfoque com lentes menos claras com f-stop em 4 ou 5,6 dependendo do zoom da lente.

Veja essa imagem abaixo:

Tirada com uma abertura pequena, porém, por estar com o assunto um pouco distante e o desfoque bem perto adicionado o zoom de 105mm foi possível fazer tal técnica.

VELOCIDADE

Como os eventos podem ocorrer no período noturno (geralmente), precisamos de uma certa velocidade para ter mais agilidade e não deixar a foto borrada (odeio).

Velocidade do obturador é a quantidade de tempo que a câmera vai permitir passar luz antes que feche a cortina, ou seja, quantos segundo essa cortina fica aberta.

No exemplo citado acima temos uma velocidade de 1/100 segundos, ou seja, um centésimo de segundo, significa um segundo dividido por cem. Rápido não?

Agora a questão é, no que isso me ajuda?

Simplesmente em tudo, pois quando tiramos fotos não proporcionais a quantidade de milímetros da nossa lente a imagem tende a ficar borrada, pois a velocidade do obturados está baixa permitindo registrar movimentos.

Muitos utilizam essa técnica de borrar quando se quer registrar um carro ou uma pessoa andando de bicicleta e etc, pois se isola o assunto acompanhando o movimento e o fundo fica como se tivesse em movimento, borrado (diferente de desfocado).

Tenha como exemplo: uma lente com o alcance máximo de 105mm deve-se colocar a velocidade do diafragma, pelo menos, em 1/100s, ou seja proporcional à distância focal. Mas não é uma regra que se não for seguida você será preso, rsrsr, não, de forma alguma, eu mesmo fotografo em 1/30s e ficam boas as fotos, daí entra o assunto de conhecer o seu equipamento, que vou falar um pouco abaixo.

ISO

O grande vilão que muitos temem, eu mesmo morria de medo, por motivo de dar zoom na hora da edição e perceber aqueles grãos indesejados…..

Pois bem, o ISO é a sensibilidade do sensor, ou o quanto ele pode ser eletricamente sensibilizado (no caso das digitais) à luz.

Quanto maior o fator de ISO menor será a necessidade de luz externa, como um flash, por exemplo, e maior a possibilidade de aumentar a velocidade do obturador. Porém, ele tem seu ponto negativo, se é que podemos dizer assim, que são os grãos, ou ruídos que são gerados na fotografia.

Eu, sinceramente, “cago” para os ruídos, tem fotógrafos que até utilizam esses grãos como identidade própria, deixando suas fotos bem clássicas e com um tom elegante.

Como disse, antes morria de medo, mas agora que conheço mais do meu equipamento, fotografo em ISO  1600 tranquilamente. Existe fotógrafos que, no uso em eventos noturnos, utilizam 3200, 6400 ou até 25000 sem problemas, é lógico que para isso deve-se ter um equipamento bem propício.

Veja essa foto tirada em ISO  1600, com uma câmera semiprofissional Nikon D90, os ruídos existem mas em nada atrapalham.

EQUIPAMENTO

Como foi descrito acima, o equipamento é necessário, pois sem ele não existe fotografia. Agora a questão é outra, qual equipamento é melhor?

Esta é uma questão que, nem aqui nem na china, você terá uma resposta que seja convincente. Tenha certeza de uma coisa, o melhor equipamento é o que você pode comprar, o mais importante é: o que você conhece e sabe fazer com tal equipamento? E ainda depende da utilização ou segmento da fotografia irá trabalhar.

Bom separei 3 tipos de equipamentos onde vou falar um pouco a respeito.

ILUMINAÇÃO

Pessoal, aqui temos um problema, ou solução…., muitos quando vão fotografar casamentos, por exemplo, gostam de utilizar flashs externos, já outros preferem luz contínua, outros nem utilizam, preferem ‘sentar o dedo’ no ISO e pronto.

Eu utilizo flash externo no modo TTL e tenho me dado muito bem, apesar de que, alguns eventos o pessoal da filmagem (sem palavras), usam luz contínuas, com refletores que, de certa forma ajuda, mas é necessário um tratamento maior do WB na hora da edição.

Por isso que o assunto deste tópico é sobre conhecer mesmo seu equipamento para não sofrer nessas horas, pois devemos trabalhar conforme “anda o barco”.

CÂMERA

Aqui não tenho muito que falar, você só precisa de uma câmera intermediária, muita criatividade, pessoas de bem com a vida, muita dedicação e conhecimento, e o resultado certamente será bom.

Este é um tópico muito discutido, porém há um consenso comum, depende do que você vai fotografar e do quanto pode investir…., geralmente esta é a resposta para a pergunta: qual câmera é melhor?

Eu sempre digo, se você tem dinheiro sobrando, então compre logo uma Canon série DX ou uma Nikon D4s…. rsrsrsrsrsrsrs, e pronto, mas não é assim que funciona, se está começando a trabalhar com fotografia, quer investir em um bom equipamento pesquise por equipamentos intermediários e posteriormente vá evoluindo.

Uma dica quentíssima está no próximo tópico, que ao invés de comprar uma Full Frame, invista mais em boas lentes, é muito melhor.

LENTE

Lentes, aqui está um tópico interessantíssimo.

Uma lente boa é melhor do que 2 câmeras com lentes do kit! Pronto está aí a dica.

Eu costumo usar uma lente zoom pela mobilidade e acesso rápido e fácil a lugares difíceis e a possibilidade de chegar onde não chegaria com uma lente fixa, ex: olho da noiva, alianças e etc.

Mas lentes de melhor qualidade são as lentes fixas, ou seja, não tem variação de zoom (distância focal), permite uma nitidez incrível e melhor qualidade da foto em todos os aspectos.

Ex. lentes fixas: Sigma Art 35mm – 1,4, Sigma 50mm – 1,8

Ex. lentes Zoom: Sigma 24-70mm 2,8, Sigma 70-200mm 2,8L VR II

PS.: Exemplos da Sigma, mas existem outras dezenas muito boas de outras marcas, Como Canon e Nikon.

Invista em umas dessas lentes, sempre observando a compatibilidade em relação a câmeras Full Frame ou ‘Cropadas’ que tem fator de corte, que terá um ótimo resultado em suas fotos.

IDENTIDADE

Ainda em relação ao básico, a Identidade é o que caracteriza você como Fotógrafo, um exemplo foi o citado acima quando falamos sobre ISO, onde o fotógrafo utiliza o ruído como sua marca.

Você pode e deve criar seu estilo ou sua marca para que seja reconhecido e para que haja identidade em suas fotos.

Temos Exemplos, alguns usam fotos quentes com bastante desfoque, outros usam mais fotos preto e branco, alguns usam fotos mais abertas onde valorizam o ambiente e etc…

Para se ter como base estude grande fotógrafos, admire e siga alguns para entender mais sobre identidade.

Crie o seu e seja Original.

#2 – SINTA-SE PARTE DO EVENTO

Geralmente fotógrafos gostam de brincar dizendo que ‘são da família’, mas na verdade passamos um tempo de real importância e naquele momento nos sentimos da família, onde nos divertimos juntos, choramos juntos e, na medida do possível, comemos juntos J.

CONVERSE COM CONVIDADOS

Aqui está um dica importantíssima, quando conversamos com os convidados entendemos um pouco mais que é nosso cliente e até descobrimos coisas que podem ser utilizadas para valorizar mais nossas fotos do evento.

Quando temos essa relação com os convidados fazemos eles ficarem mais à vontade na hora das fotos com cliente deixando as fotos mais ricas e mais despojadas.

FAÇA COM CARINHO

Quando temos certa “intimidade” passamos a sentir mais o evento, principalmente um casamento ou um ensaio familiar, então passamos a tratar com mais carinho, não somente um trabalho, mas uma diversão, um momento com pessoas legais.

Fazer com carinho faz toda a diferença, até mesmo para a relação entre profissional e cliente.

#3 – CONHEÇA SEU CLIENTE

Se não conhecermos nossos cliente não saberemos qual seus gostos e desejos ou até se querem algo específico, uma foto exótica ou algo do tipo.

DESCUBRA TUDO SOBRE

É interessante saber absolutamente tudo, pois poderá colocar em prática na hora do evento.

É bom ter um contato antes do evento para que se conheçam melhor, daí poderá extrair algumas coisas que, as vezes, tornam-se primordiais, como:

  1. Qual a cor preferida;
  2. Se é tímido(a);
  3. Religião (no sentido de opções de tipos de poses e etc..);
  4. Nome dos Pais ou padrinho e amigos mais chegados;
  5. Curiosidades e muito mais.

DÊ DICAS

Dê dicas, por exemplo, na hora do casamento, os noivos não sabem se portar em relação a olhar para câmera, postura, nervosismo e etc.

Vou colocar algumas dicas como exemplo *(casamentos):

  1. Fique a vontade, afinal é seu dia;
  2. Não se preocupe em ficar olhando para câmera, se sentir com vontade de olhar pode olhar mas não o tempo todo;
  3. Seja espontânea, quer chorar, então chore, sentiu vontade de rir então sorria…
  4. Se possível fixe o olhar no noivo por alguns segundos isso gera uma foto com muito sentimento;
  5. Fale ao ouvido dele 1 ou 2 vezes para gerar curiosidade e fotos representativas;
  6. Na hora de beijo, não tenha pressa pois é um momento único e que queremos registrar de vários ângulos.

Esses foram só alguns exemplos tantos outros você pode passar diretamente aos noivos e enriquecer seu trabalho que, com certeza, será elogiado posteriormente.

#4 – NÃO SEJA PREGUIÇOSO

Preguiça não pode haver em um fotógrafo, afinal, ralamos muito para ganhar nosso dinheiro.

DESCUBRA TODO LOCAL

Procure chegar 1 hora antes e verifique o local onde irá ocorrer o evento, procurando por ângulos diferenciados, projetando suas fotos antecipadamente.

NÃO ESPERE CAIR DO CÉU

Se ficar travado no corredor ou em um local isolado as fotos vão parecer robóticas e sem assunto, procure variar e criar novas cenas no mesmo local, por isso deve-se antecipar essa parte.

NÃO DEMONSTRE CANSAÇO

Geralmente no final dos eventos estamos acabados por nos movimentar bastante, usar criatividade, querer fazer o melhor evento possível, mas, mesmo cansados devemos ser profissionais e não demonstrar cansaço ao ponto de passar uma má impressão aos clientes, fique firme e terá bons elogios.

#5 – FOTOGRAFE SEMPRE EM RAW

Essa dica é um tanto óbvia, mas necessárias, já tive fotos que se não estivessem nesse formato teriam sido comprometidas.

O formato RAW para quem não tem conhecimento a respeito, é um formato de imagem ‘cru’, ou seja, não tem nenhum tipo de processamento, como contraste, nitidez, WB, e etc. Daí você faz tudo manualmente no computador fazendo uso de alguns programas específicos, como o Adobe Lightroom, que para mim é o mais prático e eficiente que existe.

O problema é que pode gerar mais trabalho, porém a quantidade de pontos positivos valem a pena.

Alguns prós de se fotografar em RAW:

  • Uma gama maior de resgate de detalhes, tanto para o branco quanto para o preto;
  • Você decide, conforme viu no evento, o WB (Weight and Balance) mais apropriado;
  • Possibilidade de interpolar pixels e deixar a imagem maior para grandes impressões;
  • Possibilidade maior de eliminar ruído proveniente de ISO ou Longa Exposição;
  • Controle de distorções de lente e vinhetas que são geradas pelas lentes;

Existe muito mais vantagens porém vou me ater somente a estas que, com certeza, já convence.

#6 – PROCESSE MAS NÃO SEJA PROCESSADO

Foto processada.

Já concluindo o assunto do formato RAW, existe algo que é relevante quando se falar de Edição, tem que ter bom senso e ser moderado, nada de exageros, tudo tem que parecer natural.

Existe fotos que merecem um tratamento especial, ou um certo ‘exagero’, mas nada que comprometa o trabalho como todo, como a foto acima.

Por isso desse subtítulo, “processe mas não seja processado”, tem pessoas que exageram tanto, mudando nariz, mudando marcas naturais das pessoas, pintando cabelos e etc… É coisa demais, ficam até parecendo bonecos e alguns perdem até partes do corpo, como orelha, íris dos olhos, dedos e muito mais…

Acham que estou exagerando? Digo que não, com certeza, se você procurar por aí no Google ou conversar com pessoas da área encontrará assunto a respeito e muito exemplos absurdos.

E para não levar um processo, processe somente o necessário, dica, nunca exagere, seja sempre natural e tudo vai dar certo.

Se for suavizar uma pele, no Lightroom tem uma ferramenta que você pode configurar de forma a não alterar a estrutura da pele, mas deixar um pouco mais suave. Tem também ferramentas para dar uma luz no rosto de forma graduada para não parecer que colocou o flash na “cara” do cliente.

Dentre outras tantas ferramentas para processar imagens (Editar) que existe, só ressaltando, as ferramentas não são ruins, a utilização exagerada sim.

#7 – PROCURE A LÁGRIMA

Esta é, de fato, a melhor de todas as dicas…

Simplesmente não posso te ajuda aqui, pois é o que chamamos de feeling do fotógrafo, cada um tem ou não, isso depende de cada um.

Agora você deve estar se perguntando o que tem a ver com a dica “Procure a Lágrima”?

Bom, é um termo usado para simbolizar aquela fotografia que marca o evento, que faz você ficar olhando para ela muito tempo e não enjoar, que faz as pessoas perguntarem, como você conseguiu tirar esta foto?

Ou seja, é a foto mais sensível e representativa do evento, o termo procure a lágrima vem de um momento como um casamento, onde a Noiva chora e fecha um pouco os olhos então o fotógrafo percebe o momento, isola o assunto e foca na lágrima da Noiva e isso fica registrado para sempre emocionando a todos que ver.

CONCLUSÃO

Bom, acho que já está de bom tamanho, com essas dicas práticas se colocadas em ação tem o poder de mudar um profissional para sempre, mas é necessário, cada um, com sua sensibilidade, acertar o alvo, correr atrás de encontrar a lágrima, sensibilizar e contar a história de um evento e não simplesmente, como muitos fazem, “ir para tirar fotos”…

Se pensarmos na fotografia somente como uma profissão só isso que teremos, mas se estivermos dispostos a fazer a diferença, além de nos divertir bastante, seremos gratificados com elogios e muitos eventos ao ponto de encher nossa agenda.

Vão ao meu site que encontrarão muito outros artigos legais como este https://dominandoafotografia.com .

Se preferirem também tenho um Ebook grátis para download basta clicar aqui inserir seu e-mail, confirmar sua inscrição e baixar totalmente gratuito.

Muito obrigado, espero que tenham gostado dessas dicas que foram escritas com muito carinho.

Enquanto houver luz haverá fotografia, enquanto houver sentimentos haverá composições inesquecíveis. Mas para que tudo isso exista, tem que haver PESSOAS!

Att, Mesaque Mota.

Este post tem um comentário

  1. Sou iniciante e adorei as dicas. Procuro melhorar a cada dia e não fico nunca satisfeita com os resultados. Procuro me superar sempre. Mas também já entendi que fotografia além de luz, é feita de emoção.

Deixe uma resposta