Saber como fotografar a lua, para alguns parece só apontar e disparar, mas não é bem assim, veja as nossas dicas.

Recentemente tivemos um evento conhecido como “superlua”, quando o satélite chega ao ponto mais próximo da Terra e se torna maior aos olhos dos observadores. É um fenômeno comum e que acontece pelo menos seis vezes ao ano – as próximas datas que ela poderá ser observada são nos dias 8 e 28 de setembro.

[rev_slider fotos-da-lua]

Aproveitando o momento

A “superlua” teve uma repercussão grande no mundo da fotografia pela quantidade de imagens impressionantes que ela foi capaz de gerar. Desde fotos bem simples, só daquela bola de luz, até imagens impressionantes da luz abraçando monumentos históricos de várias cidades.

Você deve estar se perguntando o porquê estamos falando disso; a resposta é mais simples do que você pode imaginar: o ato de fotografar a lua não é um bicho de sete cabeças, mas também não é uma coisa muito simples.

Se você usa uma câmera comum, daquelas Cybershot, vai ver que a foto não vai sair boa: provavelmente ela vai sair granulada demais e com a lua como uma bola de luz ou um borrão de luz, se você não tiver colocado num modo que a maioria dessas câmeras comuns tem de “Fotografia noturna”.

Com uma câmera DLSR, o trabalho fica mais fácil: primeiro, você consegue ajustar o tempo de exposição, ISO. Depois, com uma lente um pouco mais potente, você aproxima a imagem e a torna mais impactante, como você vê nessas outras imagens:

[rev_slider fotos-da-lua-2]

VAMOS AS DICAS

Sempre fotografe a lua com um tripé

Existem três dicas importantes para fotografar a lua – ou fazer uma foto noturna. A primeira delas é utilizar um tripé.  No caso de fotografarmos a lua, o tempo de exposição é um pouco menor do que quando se fotografa o céu noturno – quando a lua é cheia, dá para usar um tempo de 1/640 segundos, como nessa foto:

Lua

Ela foi tirada com um tripé que, além de evitar os “riscos de luz”, também auxilia na estabilidade da lente e da própria câmera. Um tripé, além de trazer conforto em outras situações como uma foto em família ou em um trabalho de campo onde você utilize uma lente mais longa, vai salvar a sua vida quando o assunto é fotografia noturna. Acredite, o investimento vale a pena!

Como usamos, para esta ação, o foco manual, sem o tripé acontece que quando nos movimentamos saímos do campo de foco daí necessitando focar novamente, então com o tripé isso não acontece pois fica fixo.

E também caso ocorra de querer tentar fazer uma foto de teste ou de aventura com uma longa exposição, aí o tripé se torna mais que obrigatório;

Um tripé, além de trazer conforto em outras situações como uma foto em família ou em um trabalho de campo onde você utilize uma lente mais longa, vai salvar a sua vida quando o assunto é fotografia noturna. Acredite, o investimento vale a pena!

Afaste-se de luzes artificiais

A segunda dica é sempre procurar por um ambiente que seja livre de iluminações artificiais, como postes, luzes residenciais e faróis de carros. Um campo, uma estrada ou aqueles bairros mais afastados já são de grande ajuda.

Espere o momento certo

Já a terceira dica é sempre ficar atento à visibilidade no céu: quanto mais limpo, melhor. Além disso, a lua cheia é bonita, mas ela tem muita luz; então, o restante em volta dela não fica legal.

Por isso, o ideal é fotografar a lua na fase crescente ou minguante – seu trabalho vai ter muito mais destaque e você pode conseguir retratar alguns detalhes que a lua cheia não possibilita.

Bom, isso é o que você precisa saber para fotografar a lua. Bora trabalhar?

[button style=’blue’ url=’https://dominandoafotografia.com/vida-de-fotografo-um-mundo-visto-e-registrado-de-forma-diferente/’ target=’_blank’ icon=’entypo-export’ fullwidth=’true’]Olha você pode gostar  do artigo: ‘VIDA DE FOTÓGRAFO – UM MUNDO VISTO E REGISTRADO …!'[/button]

Mais Dicas Úteis

  • Use um ISO baixo, em torno de 100 a 500, para a fotografia não ficar granulada;
  • Use um tempo de exposição curto, como 1/160 ou até mais rápido, dependendo da situação;
  • Use sempre uma câmera, pelo menos, semiprofissional, que lhe permita usar recursos manuais  (é lógico que, se você não tem uma DSLR, não está impedido de tentar novas experiências e desafios);
  • Não use o flash em hipótese alguma: ele não passa dos 20 metros de alcance! Parece até piada dizer isto aqui, mas acreditem tem gente que pensa na possibilidade;
  • Foco manual é essencial, pois as câmeras podem não focar automaticamente a lua. Tente ampliar a imagem virtualmente com opção live view foque e dispare;
  • Fotografe em RAW, pois terá mais liberdade para um pós processamento, possibilitando mais condições de edição;
  • Falando em edição, não abuse, pois perde a sensibilidade da Natureza da lua e do céu estrelado, a foto não pode perder o realismo;
  • Use aberturas pequenas, por exemplo uma f11, f16, f22, (afinal, não queremos desfocar o fundo da lua, no caso de lentes de longo alcance, né? rsrsrsr);
  • Dê preferência a lentes com distância focal longa (de longo alcance), tipo 300mm ou 400mm e se puder até maior. Assim a lua ficará mais perto de você proporcionando uma lua digna de cinema (aquelas grandonas que vemos em filmes que parecem não existirem de verdade);
  • ***Essa é para quem nunca tentou: leve alguém com você para te ajudar no que for necessário e para fazer companhia, pois dependendo do local aonde irá fotografar, pode ser perigoso;
  • Não esqueça do casaco e talvez, se gostar, de uma garrafa de café quente.

O importante é você tentar várias vezes até ficar bom, detalhe, não exclua as fotos ruins elas podem ser úteis na hora da edição, você pode brincar um pouco com elas.

Se não conseguir da primeira vez em que for tentar, não desista, tente 2, 3 e quantas vezes forem necessárias, até você ficar satisfeito com o seu trabalho.

Como fotografar a lua? Agora ficou bem mai fácil…. Fotografem e se divirtam!

Deixe uma resposta